quarta-feira, 24 de maio de 2017

Taça FPF Sub-23 traz mudanças na fórmula de disputa para 2017


Na tarde desta quarta-feira, 24, aconteceu na sede da Federação Paranaense de Futebol, o arbitral que definiu a nova fórmula de disputa da Taça FPF Sub-23.  Além dos diretores da Federação Paranaense de Futebol, participaram representantes das equipes inscritas na competição: Andraus, Cascavel, Foz do Iguaçu, Iraty, Maringá, Operário, Paranavaí, Portuguesa Londrinense, Rio Branco e Toledo.
Ficou definido que participarão atletas profissionais nascidos entre os anos de 1994 e 2001, e que a competição terá início no dia 06 de agosto, conhecendo o seu campeão em 29 de outubro.  
O sistema de disputa foi alterado. Na primeira fase, as equipes jogam entre si em tudo único, sendo 5 equipes com 5 mandos e 5 equipes com 4 mandos. Os oito melhores seguem para a segunda fase da competição. No sorteio eletrônico realizado durante o arbitral, ficou definido que as cinco equipes que terão cinco mandos de campo serão Iraty, Operário, Maringá, Foz do Iguaçu e FC Cascavel.  
Na segunda fase (quartas de final), as equipes jogam ida e volta, sendo 1º x 8º, 2º x 7º, 3º x 6º e 4º x 5º. Também em jogos de ida e volta, os quatro melhores disputam as semifinais e duas equipes avançam para a decisão. Os critérios de mandos dos 2º jogos da 2ª, 3ª e 4ª Fase são a soma dos pontos das fases anteriores.
 Assim como nos anos anteriores, os jogos serão realizados aos domingos, às 11h. Porém, nesta temporada, também acontecerão jogos no meio de semana, sempre às 20h15. Para os estádios que não possuem iluminação, os jogos realizados durante a semana serão obrigatoriamente às 15h30.

 O Campeão da Taça FPF Sub-23 de 2017 terá direito a uma vaga na Série D do Campeonato Brasileiro, em 2018.

Investigações da 9ª SDP e Diep descobrem a existência de organização criminosa na região de Maringá


Investigações realizadas por investigadores da 9ª SDP em conjunto com o Diep descobriram a existência de organização criminosa armada, atuante nessa Região Metropolitana de Maringá/PR (ramificações em Mandaguaçu, Sarandi e Marialva)  desde 2015, subdivida em três células distintas, voltada, sobretudo, à subtração de veículos, porte/posse ilegal de arma de fogo e ao tráfico ilícito de entorpecentes, além da prática, em tese, de delitos correlatos, tais como receptação, adulteração de sinal identificador de veículos e lavagem de dinheiro. O grupo era responsável, em tese, por adquirir veículos de procedência ilícita e negociá-los em troca de drogas (maconha, cocaína e outras sintéticas), especialmente em países vizinhos, como Paraguai e Bolívia, as quais seriam posteriormente distribuídas nessa região. Não se pode esquecer, ainda, da prática do delito de homicídio da vítima Clayton de Almeida Souza, praticado pela organização criminosa investigada, após desavenças e conflitos internos do grupo, já que Clayton trabalhava como taxista na cidade de Maringá e integrava a organização criminosa, sendo o responsável por transportar os membros do grupo após a subtração dos veículos, buscando os onde estes bens ficariam escondidos. Além disso, a organização é responsável pela morte de Marcelo Cruz Maiolino, o qual era proprietário da Academia Geração Fit, arrendada por Marcelo ao líder da organização criminosa investigada conhecido como “Dodi” e diante desentendimentos entre “Dodi” e Marcelo, pelo fato do primeiro não concordar em restituir a academia a Marcelo, a organização criminosa a mando de “Dodi” matou Marcelo Miolino. Foram deferidos pela justiça, 21 mandados de busca nas cidades de Maringá, Sarandi, Mandaguaçu e Marialva, 20 mandados de prisões preventivas e 10 mandados de apreensão de veículos. Participaram da operação cerca de 100 policiais civis de Maringá e região, houve apoio também do Helicóptero do GOA.

STJD tem até quinta feira para decidir o caso Grêmio x Lusinha

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) define nesta quinta-feira (25) se o Grêmio Maringá vai permanecer no Campeonato Paranaense da Segunda Divisão e participar da segunda fase, como um dos participantes do Grupo A.

O alvinegro alega que a Portuguesa Londrinense utilizou atleta de maneira irregular na primeira rodada da competição, mas nos julgamentos ocorridos no Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) da Federação Paranaense de Futebol (FPF), o Grêmio acabou derrotado. No primeiro, por unanimidade dos votos, e no segundo julgamento por cinco votos contra três.

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Briga entre genro e sogro termina com ferimentos graves

Após uma discussão com o genro, um homem de 64 anos ficou gravemente ferido, em Sarandi. O marido da filha dele é suspeito de ter agredido a vítima com vários socos e chutes na cabeça. O caso aconteceu na noite de sábado (20), na Avenida Cuiabá.                                                                                    
A vítima, Genésio Alves André, teve ferimentos graves e, segundo os socorristas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e do Suporte Médico Avançado, estava com baixo nível de consciência no momento do atendimento. Ele foi encaminhado ao Hospital Metropolitano e não informou à polícia qual teria sido o motivo da discussão.                          
O suspeito pela agressão, Leandro Alves Pereira, de 24 anos, foi localizado durante o patrulhamento da Polícia Militar (PM). Ele foi encaminhado à delegacia de Polícia Civil de Sarandi.
Fonte: O diário.

Denarc apreende 7 toneladas de maconha


A Divisão Estadual de Narcóticos de Maringá (Denarc), apreendeu 7,2 toneladas de maconha que estava preparada para deixar o Paraná rumo a São Paulo. A apreensão aconteceu no fim de semana na cidade de Colorado após uma investigação quye durou cerca de 4 meses. A droga estava na carroceria de um caminhão Ford.                                                                   
De acordo com os policiais da Denarc, o veículo com a droga estava dentro de uma oficina mecânica quando foi interceptado pela polícia. O motorista do caminhão de 34 anos que é morador de Cianorte, e outro homem de 48 anos, suspeito de ser o traficante, foram presos. Outros dois homens foram localizados pelos policiais durante as diligências.                                                  
O grupo seria responsável por atuar no tráfico em Cianorte e Paranavaí. O delegado da Denarc, Gustavo Alves, disse que a droga apreendida está avaliada em 5 milhões de reais. 
Fonte: André Almenara

Maringá FC perde para o Paranavaí em jogo decisivo

No Domingo (21) o Maringá FC enfrentou seu principal adversário do grupo B, o Atlético Clube Paranavaí, o jogo aconteceu no estádio Waldemiro Wagner em Paranavaí as 15:30 hrs. A vitória manteria o time do Maringá na liderança do grupo e garantiria o acesso a primeira divisão, porém, infelizmente, o MFC no jogo fora de casa perdeu de 2x1 pro ACP. O primeiro gol foi do Maringá, aos 20 minutos de jogo. Após cruzamento pela direita, Maikinho foi empurrado dentro da área e o árbitro assinalou pênalti que foi convertido pelo camisa 5, Fabrício. Minutos depois, Maikinho foi expulso do jogo por dar um carrinho lateral no jogador do ACP, fato que, segundo o técnico Fernando Marchiori, desestabilizou o time do Maringá e abriu espaço para o Paranavaí marcar dois gols. 
Além da derrota, o time maringaense trás na bagagem desse jogo, a má recepção do ACP, pois o time da casa não permitiu a entrada de parte dos jogadores do elenco maringaense que viajaram com o time para acompanhar a partida se não estivessem com o ingresso. Isso gerou revolta por parte do Maringá, pois na primeira partida da competição, que ocorreu em Foz do Iguaçu, o Maringá autorizou a entrada de mais de 30 torcedores do ACP nas arquibancadas. Ademais, os vestiários não continham iluminação.
Imagem: Maringá Futebol Clube

Para o time maringaense conseguir o acesso a primeira divisão do paranaense, é necessário que o Maringá ganhe do Andraus no jogo em Campo Largo, e que o Cascavel ganhe, ou empate, no jogo contra o Paranavaí.

terça-feira, 16 de maio de 2017

Vazamento em tubulação da Sanepar provoca interdição parcial Loja Magazine Luiza


Uma das lojas de departamentos da Magazine Luiza localizada na avenida Brasil, área Central de Maringá, teve parte de sua entrada interditada por equipes do Corpo de Bombeiros e Defesa Civil.
A constatação do problema se deu hoje (16) pela manhã após o Corpo de Bombeiros ser acionado para verificar rachaduras em uma das paredes internas da loja. O bombeiro verificou que além das rachaduras havia afundamento na calçada.
O diretor da DC, Adilson Costa, verificou pessoalmente o problema e acionou de imediato a Sanepar, no início da tarde, funcionários quebraram a calçada e se confirmou o vazamento na tubulação da rede de abastecimento de água.
Em cálculo rápido, acredita-se que pelo menos 25 mil litros de água vazavam diariamente por debaixo da construção. Um engenheiro contratado da empresa Magazine Luiza acompanhou toda a situação e já iniciou o projeto de reestruturação da parte afetada.
A Defesa Civil e Corpo de Bombeiros diante dos fatos interditaram o setor do prédio afetado, localizado em umas das laterais da loja. A Sanepar terá que arcar com todas as despesas, tendo em vista que o problema do vazamento no imóvel é de sua responsabilidade.